Quando amadureci, entendi que para estar em paz precisamos aprender a aceitar.

Aceitar que somos responsáveis por tudo aquilo que dizemos e fazemos a nós mesmos e também aos outros. Toda ação, com toda certeza, gerará uma consequência. Aceite que deverá lidar com ela. Não dá para simplesmente jogar a culpa para quem quer que seja.

Aceitar que pessoas surgem em nossas vidas por um propósito. Mas nem todos continuarão ao nosso lado até o fim dos dias. Alguns, simplesmente, decidirão seguir caminhos opostos. E tudo bem, talvez eles apenas não se encaixem mais no nosso estilo de ser. Afinal, os anos passam, as prioridades mudam, o jeito de enxergar a vida também. Talvez, você comece a procurar e valorizar características que antes não eram notadas.

Devemos entender e aceitar que tudo e todos podem mudar, inclusive nós mesmos. Que sua vida não será sempre a mesma e nem deve ser. Esse é o primeiro grande passo para a liberdade.

Nossa vida é feita de fases. Precisamos aprender a receber todas elas com os braços bem abertos. Devemos, de fato, estarmos abertos as novas oportunidades, desafios e aprendizados que toda mudança nos traz. Uma mudança só é ruim se você enxergá-la como tal.
Aceitar que decepções fazem parte da vida. E que elas virão aos montes. De lugares inimagináveis. Essa é a parte mais difícil, na minha opinião. Por que, minha amiga, você terá que seguir em frente, mesmo que doa. E dói, dói bastante.

Mas jamais abaixe sua cabeça, jamais desista da sua essência. Simplesmente aceite que pessoas vem e vão, e que em alguns momentos você terá que tentar de novo, e de novo, e de novo.

A morte de um ente querido. Uma mudança que nos vira, literalmente, do avesso. Nos vemos em nosso pior lado, com pensamentos e atitudes jamais imaginadas ou sentidas. Mas, teremos que aceitar, de um jeito ou de outro que, a partir dali, vamos viver dia após dia convivendo com essa falta. Aprendendo a aceitar que uma nova rotina precisará ser criada. Aceitar que uma parte de você estará para sempre modificada, mas que será preenchida, pouco a pouco, por novas experiências. E o que ficará serão as doces lembranças.

A faculdade. O Casamento. O Nascimento de um filho. Um emprego novo. Tudo nos força a sair da nossa zona de conforto e, como tal, nos exigem coragem. Coragem para aceitar uma nova vida, uma nova realidade.

Muitos são eternos infelizes, porque simplesmente não os ensinaram a aceitar que a vida pode ser muito melhor, basta que estejam livres de todas as amarras que os prendem ao passado. Ao jeito de ser que já não lhe cabe mais, aos amigos que deixaram de ser a muito tempo, ao conforto da casa dos pais, ao emprego que já não lhe faz feliz.

Aceitar a vida como ela é, e recebê-la com todo o carinho que ela merece, sem medo. Saber que você pode construir o seu próprio destino. Isso é viver plenamente.

Anúncios