De repente a vida te força a entender, de uma vez por todas, que há diversos tipos de amor, inclusive aquele que desprotege.

Não deixa de ser amor. Mas assume formas que impedem o crescimento do outro ou, ainda pior, pode criar pessoas que não sabem lidar com seus próprios sentimentos. Isso é cruel.

Muitas vezes, por medo de magoar aqueles que amamos, seja filho, marido, pai, mãe ou amigo, deixamos de dizer ou fazer algo, pensando que estamos, de fato, poupando-os do sofrimento. Mas isso não é verdade.

O que ocorre, de fato, é que apenas protelamos aquilo pelo qual eles terão que passar, de um jeito ou de outro. Criamos seres frágeis e mimados. Esquecemos que ao enfrentar o problema de frente, aprenderão a ser mais fortes e a lidar com sensações pouco agradáveis a qualquer um de nós. Desenvolverão, assim, a capacidade de não surtar, quando a vida exigir um pouco mais de coragem.

Aprendi que sentir pena de alguém é a pior coisa que você pode fazer por ela ou ele e também por si mesma.

Ao querer poupar aqueles que amamos de um sofrimento, deixamos o problema ainda mais evidente em nossa vida, porque precisaremos criar estratégias para o que chamamos de contornar a situação. Isso causa uma ansiedade absurda.

Não se trata de ser frio. De jeito nenhum. Mas em saber falar o que for preciso, na hora certa.

Muitas vezes gastamos todas as nossas energias em algo com a falsa ideia de que estamos poupando alguém do sofrimento. Mas ele virá, de uma forma ou de outra, porque a vida é assim, cheia de desafios.

Nem sempre faremos tudo aquilo que temos vontade. Tampouco apenas aquilo que queremos. Teremos que enfrentar doenças, problemas financeiros, contrariedades, falsidades, mentiras e quanto antes soubermos que somos fortes o suficiente para dar conta de tudo e ainda sermos felizes, menor será o sofrimento.

Incentive aquele que você ama a ser independente. Psicologicamente independente.

Vejo a consequência do amor super protetor o tempo todo.

Maridos ou esposas que, de tão mimados, desrespeitam seus parceiros e parceiras. Desacostumaram a ter que ser forte e resolver alguma situação. Afinal, tudo sempre esteve muito fácil em suas mãos.

Filhos que sentem verdadeiro pânico em ficarem ou fazerem algo sozinhos. Tem medo de não darem conta. Sentem que são fracos, e que algo muito ruim pode acontecer a eles caso estejam fora da proteção dos seus pais.

Adultos, empresários e pais de família que entram em desespero quando alguma coisa sai do eixo. Quando a sua vontade não é atendida.

Seres Humanos que usam da agressividade, seja física ou verbal, porque simplesmente não aprenderam a lidar com sua própria raiva, ressentimento ou tristeza.

Por favor, vamos amar com propriedade.

Vamos ajudar aqueles que amamos a serem livres. A evoluírem. Para que se libertem de tudo aquilo que os aprisionam dentro de si mesmos e os impedem de encontrar a verdadeira paz.

 

Anúncios