Hoje aprendi que o amor perpassa toda noção de sentimento que nós concluímos entender.

Amar alguém nos transforma, nos revigora. E se isso não aconteceu com você, me desculpe, mas devo dizer que ainda tem muito a aprender.

Dizer Eu te amo virou moda. Mas amor, amor de verdade, você diz com os olhos.

Amar é uma decisão e não um sentimento.

É quando você decide amar alguém por tudo o que ele representa na sua vida. Você aceita o outro por inteiro. Defeitos e qualidades fazem parte do pacote que você deseja levar para casa, e cuidar com todo o carinho possível.

Sendo o amor uma decisão, ele não acaba na primeira dificuldade e nem mesmo na décima. Pelo contrário, todos os obstáculos são degraus para o amadurecimento e fortalecimento do amor.

O amor não é feito de urgências. É calmaria, compreensão, descoberta. É um eterno desvendar.

É quando a convivência não destrói, mas contrói um amor real, sem as vendas que nos cobrem a visão e nem as amarras que nos impedem de seguir em frente.

Amor é exercício diário. É renúncia. Comprometimento.

Aliás, devo te dizer, não há amor sem comprometimento.

Você se compromete a ser fiel, a amar e respeitar. Mas quando você ama, você também se compromete com a felicidade do ser amado e não apenas com a sua.

O amor nos deixa mais humildes.

O “eu” abre espaço para que o “nós” perpetue, se prolifere e tome conta de toda a sua vida.

Um não completa o outro. Na verdade, ambos se complementam. Manias, vivências, expectativas, aprendizados que se unem para agregar. Um aprende com o outro e dali cria-se a magia chamada relacionamento.

Quando você decide amar alguém, há parceria. O outro sempre será sua prioridade e vice-versa. Há comunhão.

Quando há amor, há determinação. Ambos determinados a continuar, a não desistir, a dar conta da vida juntos, haja o que houver.

Anúncios